quinta-feira, 10 de novembro de 2011

"FAMÍLIAS TRANSMONTANAS"

Uma excelente notícia: a EDITORA MARTINS FONTES PORTUGAL está a lançar uma obra de referência, em dois volumes: "FAMÍLIAS TRANSMONTANAS". Este trabalho é fruto de vinte anos de investigação por parte dos genealogistas: Francisco Xavier de Moraes Sarmento e Alberto Henrique Campilho Gomes. A edição é limitada a 200 exemplares e a compra só pode ser efectuada através da própria Editora (martinsfontesportugal@gmail.com). É uma edição de luxo para os investigadores da área e para coleccionadores.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Carta de Beethoven à Amada Imortal

A minha amiga Letícia Malloy fez-me recordar grandes momentos literários e musicais quando postou esta bela carta de Beethoven na sua página do Facebook. Não podia deixar de a colocar no meu Blog:


"Para a Amada Imortal

Manhã de 6 de Julho

Meu anjo, meu tudo, meu próprio ser – Hoje apenas algumas palavras a caneta (a tua caneta).

Só amanhã os meus alugueres estarão definidos – que desperdício de tempo....... por que sinto essa tristeza profunda se é a necessidade quem manda? Pode o teu amor resistir a todo sacrifício embora não exijamos tudo um do outro? Podes tu mudar o facto de que és completamente minha e eu completamente teu? Oh Deus! Olha para as belezas da natureza e conforta o teu coração. O amor exige tudo, assim sou como tu, e tu és comigo. Mas esqueces-te tão facilmente que eu vivo por ti e por mim. Se estivéssemos completamente unidos, tu sentirias essa dor assim como eu a sinto.

O meu dia foi terrível: ontem só cheguei aqui às 4 horas da manhã. Com a falta de cavalos, o cocheiro do correio escolheu um novo caminho, mas que terrível caminho, na penúltima paragem eu fui avisado para não viajar à noite, fiquei com medo da floresta, mas isso só me deixou mais ansioso - e eu estava errado. O cocheiro precisou parar na infeliz estrada, uma imprestável e barrenta estrada. Se eu estivesse sem todas as coisas que trago comigo teria ficado preso na estrada. Esterhazy, viajando pela estrada, teve o mesmo problema com oito cavalos que eu tive com quatro - sinto prazer com isso, como sempre sinto quando supero com sucesso as dificuldades.

Agora uma rápida mudança das coisas externas para as internas. Nós provavelmente devemos nos ver em breve, entretanto, hoje eu não posso dividir contigo os pensamentos que tive nos últimos dias sobre minha própria vida – Se os nossos corações estivessem sempre juntos, eu não teria nenhum.... O meu coração está cheio de coisas que eu gostaria de te dizer – ah – há momentos em que sinto que esse discurso é tão vazio – Alegra-te – Lembra-te da minha verdade, o meu único tesouro, o meu tudo como eu sou o teu. Os deuses devem-nos mandar paz... Teu fiel Ludwig

Segunda de tarde, 6 de Julho

Tu estás a sofrer minha criatura adorada – só agora percebi que as cartas deveriam ser enviadas nas segundas ou quintas de manhã cedo - os únicos dias nos quais o correio vai daqui para K. – Tu estás a sofrer – Ah, não importa onde eu esteja porque tu estás comigo – Vou arrumar tudo para que possamos viver juntos..... e que vida teremos!!! Assim!!!

Sem ti... perseguido pela bondade de algumas pessoas, que não quero receber porque não as mereço. Dói-me a humildade do homem diante do homem. E quando me acho em sintonia com o Universo, o que sou e quem é aquele a quem chamam o Todo Poderoso? E sem dúvida... aí então aparece de novo o divino do homem.

Choro ao pensar que provavelmente não receberás a minha primeira carta antes de sábado. Tanto como tu me amas, muito mais te amo!... Boa noite! Devo ir dormir. Oh, Deus! Tão perto! Tão longe! Não é o nosso amor uma verdadeira morada do céu? E tão sólido como as muralhas do céu?!

7 de Julho

Bom dia! Todavia, na cama se multiplicam os meus pensamentos em ti, minha amada imortal; tão alegres como tristes, esperando ver se o destino quer ouvir-nos. Viver sozinho é-me possível, ou inteiramente contigo, ou completamente sem ti. Quero ir bem longe até que possa voar para os teus braços e sentir-me num lugar que seja só nosso, podendo enviar a minha alma ao reino dos espíritos envolta contigo. Tu concordarás comigo, tanto mais que conheces a minha fidelidade, e que nunca nenhuma outra possuirá meu coração; nunca, nunca... Oh, Deus! Por que viver separados, quando se ama assim?

Minha vida, o mesmo aqui que em Viena: sentindo-me só, angustiado. Tu, amor, tens-me feito ao mesmo tempo o ser mais feliz e o mais infeliz. Há muito tempo que preciso de uma certeza na minha vida. Não seria uma definição quanto ao nosso relacionamento?... Anjo, acabo de saber que o correio sai todos os dias. E isso me faz pensar que tu receberás a carta em seguida.

Fica tranquila. Contemplando com confiança a nossa vida alcançaremos o nosso objectivo de vivermos juntos. Fica tranquila, queiras-me. Hoje e sempre, quanta ansiedade e quantas lágrimas pensando em ti... em ti... em ti, minha vida... meu tudo! Adeus... queiras-me sempre! Não duvides jamais do fiel coração de teu enamorado Ludwig. Eternamente teu, eternamente minha, eternamente nossos."

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Livro (quase) esgotado

Prezados amigos. A Editora MARTINS FONTES PORTUGAL informa que o livro "José Saramago - As Intermitências da Vida" tem a sua primeira edição quase esgotada nas livrarias portuguesas. A editora possui em stock apenas 50 exemplares, quem o quiser adquirir, com desconto de 10% sobre o preço de capa, deve enviar um mail para: martinsfontesportugal@gmail.com.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

N.O.M.

Frases

O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflecte.
(Aristóteles)

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Mesmo longe

*** TRI-CAMPEÃO DA TAÇA LIBERTADORES DA AMÉRICA ***

Mesmo longe

SANTOS SEMPRE SANTOS!
Que a Nação Santista sorria e se emocione
Ao erguer a Libertadores!
Mesmo longe... Aqui Estou!
SEMPRE!

sexta-feira, 27 de maio de 2011

José Saramago - As Intermitências da Vida e Eram todos filhos da Mãe

Jorge Botelho (presidente da Câmara de Tavira), José Fanha, RC, Paulo Mira Coelho e Ruy de Carvalho. Na apresentação do "José Saramago - As Intermitências da Vida" e do "Eram todos filhos da Mãe"! 25 de maio de 2010. Biblioteca Álvaro de Campos.

terça-feira, 24 de maio de 2011

José Saramago - As Intermitências da Vida


Amigos, neste próximo dia 25 de maio, às 18 horas, eu, o Paulo Mira Coelho, o Ruy de Carvalho e o José Fanha estaremos em Tavira, na Biblioteca Municipal. Estão convidados a aparecer para "um dedinho de boa prosa".

quinta-feira, 17 de março de 2011

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

‎"José Saramago - As Intermitências da Vida", em 15 de março de 2011, no Charlotte, em Lisboa. Agradeço à poetisa Susana Roque Bravo pela bela apresentação, agradeço também aos cantores Ana Sofia e Nelson Ritchie que tiveram a amabilidade de prestigiar-me, abraço fraternalmente ao genial amigo Rui Costa, bem como a toda a equipa Charlotte, esse espaço cultural e gastronómico que é uma referência importante da capital portuguesa.

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

quinta-feira, 3 de março de 2011

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

"José Saramago - As Intermitências da Vida".
Sábado, 5 de março de 2011, às 22 horas.
FNAC do Guimarães Shopping, cidade de Guimarães.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

Agradeço à FNAC ALFRAGIDE
por todo o carinho que recebi na apresentação do meu livro, neste 27 de fevereiro.

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

Pedro Cotrim e Rui Calisto.
FNAC ALFRAGIDE
27 de fevereiro de 2011.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

Manuela Dâmaso e Rui Calisto.
FNAC LEIRIA
18 de fevereiro de 2011
Agradeço a toda a equipa FNAC mais uma excelente jornada literária.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

A Falência da Política Portuguesa

A cada dia que passa é mais visível o desgoverno em que se encontra o país. Neste momento de crise financeira grave, e distante de solução, principalmente porque Portugal está alheado de algumas mais valias, entre elas a produção agrícola e industrial e o investimento cuidado no sector comercial de cada região, podemos antever um aumento significativo da pobreza em que uma grande parcela da população vai entrar a médio prazo.

Infelizmente o sonho do 25 de abril de 1974 durou pouco, porque foi conduzido por interesses escusos, cercados de ganância de poder e desejos de acumulo de riqueza para “alguns dos líderes da revolução”. Homens que ainda hoje estão com as rédeas do poder em mãos, e que continuam a cavar, cada vez mais fundo, o buraco em que se encontra a nação portuguesa.

Vem-me à memória o sofrimento de trezentos mil portugueses, que perderam todos os bens que possuíam, alguns até a vida, na transição do poder em Angola, graças a negociações cheias de erros, conduzidas por aqueles gananciosos falados anteriormente. Uma calamidade. Essa geração incompetente, conseguiu também deixar Portugal, a Metrópole, numa situação social caótica, entregue à sua própria sorte.

Actualmente, sem interesse eleitoral, a maioria da população abstêm-se de ir às urnas para tentar mudar o destino da nação, e os que vão, entre eles muitos “carneiros” com interesses muito definidos no jogo do poder instalado, são o suficiente para manter a bandalheira existente.

Os partidos políticos actualmente pouco apresentam. Não surgem vozes que, de facto, pensem na mudança necessária, numa nova condução do destino político do país. O que Portugal precisa é, inegavelmente, de cidadãos, e não de partidos. Cidadãos que não usem a política unicamente para satisfazer interesses pessoais, com vontade de entregar a seus descendentes um país próspero, uma pátria rica, sustentada pelo trabalho, pela educação e pela cultura.

O povo português ainda olha para o horizonte, na esperança do retorno de D. Sebastião. Enquanto isso, enquanto esse próprio povo, jaz apático a mirar um sonho, os interesseiros, os lobos políticos que conduzem a nação, continuam a dividir, o que ainda resta de riqueza, entre eles e os amigos, e todos, num banquete sumptuoso e desbragado, vão rindo e comendo, refastelando-se. Quando nada mais houver, possuem o suficiente em paraísos fiscais, para viverem o resto de uma vida de luxo.

Deixei de acreditar no sonho de um país politicamente digno, porque deixei de acreditar na classe política e na forma como esta conduz os interesses da nação. Deixei de acreditar que o povo português possa erguer-se das cinzas e lutar por causas nobres. Deixei de acreditar que as manifestações populares, dos professores e dos trabalhadores em geral, dessem frutos, porque sei que basta corromper os líderes para que as tais manifestações se transformem apenas em conversas de café e em vivas lembranças na Internet.

Portugal segue um caminho de pedras, duro e difícil, que só com muito esforço e sofrimento poderá transpor. E essa abnegação, sem dúvida, será sempre das classes menos favorecidas, daqueles que são obrigados, a todo o instante, a “sacrifícios para salvar o país”.

Acabou a Ditadura? Acabou uma a 25 de abril de 1974. No dia seguinte outra começou, feroz, corrupta, vil, cheia de dedos longos a usurpar riquezas nacionais, a chafurdar numa lama disfarçada em mar azul. Deixei, de facto, de acreditar num país politicamente digno!

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

Apresentação do livro:
"José Saramago - As Intermitências da Vida", na próxima sexta-feira, 18 de fevereiro, às 21:30 horas, na FNAC LEIRIA.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

FNAC FÓRUM COIMBRA
12 de fevereiro de 2011
Agradecendo a gentileza de toda a equipa FNAC
E, em especial, ao Sr. João Vaz, Director de Comunicação

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

FNAC FÓRUM COIMBRA
12 de fevereiro de 2011

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

"José Saramago - As Intermitências da Vida", no próximo sábado, 12 de fevereiro, às 17 horas, na FNAC FORUM COIMBRA.

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

Na Livraria Barata. Pedro Cotrim e Rui Calisto.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

APRESENTAÇÃO: LIVRARIA BARATA - LISBOA - TERÇA-FEIRA, 8 DE FEVEREIRO DE 2011, ÀS 18:30 HORAS.

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

Obrigado Pedro!

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

FNAC ALMADA
3 DE FEVEREIRO DE 2011
PEDRO COTRIM E RUI CALISTO

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

APRESENTAÇÃO DO LIVRO

JOSÉ SARAMAGO - AS INTERMITÊNCIAS DA VIDA

FNAC - ALMADA

3 DE FEVEREIRO DE 2011

22 HORAS